Menu fechado

(In)Coerência Política

Um pequeno caso de (In)Coerência Política por ter votado no Mercadante… Vou contar isso com calma.

Memória UBQ

Este texto foi publicado originalmente em 20/08/2009. Muita coisa aconteceu desde então. Alguns fatos da época pode parecer estranhos por conta do decurso de tempo entre a publicação original e o tempo atual.

Assim é a memória UBQ… resgatando sua história; trazendo opinião, informação e entretenimento para você. Uma maneira interessante de rever os fatos e avaliar como a informação ‘envelheceu’.

Contrariando minhas convicções

Nas eleições gerais de 2002 tomei um decisão que contrariava muitas das minhas convicções políticas: resolvi votar em Aloizio Mercadante (PT/SP) para o Senado Federal. Meu outro candidato seria José Aníbal (PSDB/SP).

Sempre que opinei sobre discussões políticas dentro da faculdade eu tentava ao máximo expressar uma opinião apartidária. Que fosse coerente com a situação atual e não contrariasse minhas crenças e ideais.

Desta maneira, na época a decisão me pareceu bastante acertada. Afinal de contas, acredito que toda unanimidade é burra. E que para cada opinião, temos que ter uma visão contrária. Desta forma, podemos todos crescer com o debate de idéias.

Mercadante, já em seu mandato como Senador da República
Mercadante, já em seu mandato como Senador da República

Desta forma, votei em meus candidatos do PSDB para os diversos cargos da ocasião (Presidente, Deputados e Governador) e para Senador, optei pelo Aloizio.

(In)coerência política?

A princípio, a decisão me pareceu equivocada: obviamente ele apoiou incondicionalmente o Presidente Lula e muitas de suas decisões absurdas. Além disso, protegeu o governo de diversas formas quando surgiram escândalos que colocavam em xeque a credibilidade do governo.

Em agosto de 2009, acompanhei com certa apreensão a impunidade no Senado em relação ao então Senador José Sarney (PMDB/AP). Este senhor – que tem sede de poder – transformou o estado do Maranhão em seu curral político.

Ele também transformou o Senado Federal em um cabide de empregos para familiares e amigos. O Conselho de Ética livrou a cara do Sarney, arquivando as denúncias que o acusavam.

Mais uma pizza para a grande pizzaria chamada Brasília tendo como pizzaiolo-mor nosso então presidente barbudo.

Denúncias contra José Sarney acabaram em Pizza no Senado Federal lá em 2009
Denúncias contra José Sarney acabaram em Pizza no Senado Federal lá em 2009

Agora me ocorreu que o barbudo salvou o bigodudo…

O barbudo salvando a pele do bigodudo... em política nada é como parece
O barbudo salvando a pele do bigodudo… em política nada é como parece

Vergonha na cara

Alguns políticos mostraram ter vergonha na cara. Marina Silva saiu do PT depois do embate que teve com a Dilma.

Um nome que eu desconhecia – Flávio Arns (PT/PR) – também saiu do partido envergonhado com a impunidade que o PT preparava para Sarney.

E agora o Mercadante anuncia que deixará a liderança e o PT no Senado.

Se ele decidir sair do partido, pelo menos terei a tranquilidade de finalmente poder acreditar que meu voto – há quase 8 anos atrás – não foi em vão.

Em política, nem tudo é ‘preto-no-branco’

Até o parágrafo anterior, o texto foi escrito para um post específico no blog… um dia depois, descobri que cometi dois erros graves.

Primeiro, foi supor que a saída seria do partido. Na verdade, ele sairia apenas da liderança do governo no Senado Federal e não do PT.

O segundo foi acreditar que meu voto em Aloysio Mercadante não seria em vão.

(In)Coerência Política por ter votado no Mercadante?

Aprendendo com os erros… pena que por culpa deste erro, o Brasil teve um mau representante do povo por 8 anos.

Notas do Editor em 2019

Para nossa sorte, José Sarney retirou-se da política em 2014. Lula, agora um criminoso condenado, segue ‘preso’ na sede da Polícia Federal em Curitiba. Estão planejando colocá-lo no semiaberto, mas isso é outra história. Já Mercadante segue atualmente aposentado como Senador.

E é claro… eu aprendi a nunca mais votar contra meus princípios.

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *