Menu fechado

Outubro Rosa: Prevenção e Conhecimento

Neste mês, muito se fala sobre o Outubro Rosa. Mas o que se trabalha durante essas próximas semanas? Vamos falar de algo fundamental em um mês tão importante como o Outubro Rosa: Prevenção e Conhecimento.

Alguns dados para pensarmos

Segundo o Instituto Nacional de Câncer, o Outubro Rosa é um Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama. Criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure.

A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. “

O movimento existe, e percebemos isso através de notícias, imagens, redes sociais, e divulgação dos mais diversos tipos. Mas veja bem, estive pensando sobre o tema e me deparei com alguns fatores que me deixaram intrigada, como:

Porque o câncer de mama ainda pega muita gente de surpresa?

Se a conscientização existe, por que ainda há uma certa surpresa ao falar sobre o tema, ou ainda, fazer parte do grupo de pessoas que precisam tratar o câncer de mama. Ressalta-se que, quando digo pessoas, devo lembrá-los que a doença não está presente apenas na mulher, e sim no homem também! O que me leva a pensar:

O que pode estar causando essa não prevenção da doença?

Pensando nisso, fui atrás novamente do método de prevenção, e percebi que um dos métodos principais é tocar seu próprio corpo, para fins de descobrir possíveis irregularidades na mama.

Parece simples não é?

Quando se pensa o que “tocar seu corpo” significa, levanta-se outros fatores que não tem relação com o medo de encontrar a doença, e sim , de se perceber.

A sociedade tem andado alguns passos a frente, porém muitos para trás quando se trata de auto-imagem. Ainda existe um padrão de como devemos se vestir, ou qual tipo de corpo possuir, e como se portar, pois se alega que “na frente dos outros você não faz isso”, enquanto “em casa parece outra pessoa”.

Para alguns pode ser normal se olharem no espelho, e reconhecerem cada detalhe do seu corpo. Não se importa em o que os outros falam de si, ou se está dentro de um padrão ou não.

Porém, nem todos pensam assim, e se olharem no espelho e se tocarem pode ser algo torturante de fazer, por acharem que seu corpo está errado, e isso vem de uma construção social de longa data, que ainda há muito que desconstruir.

Olhar-se no espelho

Um dos métodos práticos para pensar o seu auto-cuidado a é o “se olhar no espelho”. Independente do gênero, o espelho deve ser nosso aliado, pois não só irá refletir como estamos visualmente, mas também irá mostrar como o nosso corpo está, em situações que deixamos passar em um belo banho sozinhos.

Olhar-se no espelho... conhecer a si mesma(o)
Olhar-se no espelho… conhecer a si mesma(o)

O espelho está ali para que não nos julgue, ele não irá falar verbalmente como você está, porém estará lado a lado consigo, mostrando como você é, e a partir daí, os auto-cuidados partirão de você!

Cuide do seu EU!

Quando se trata de saúde, não deixe de se perceber. Toque sua mama, note seu corpo. Suas falhas, suas imperfeições, e também tudo aquilo que os torna perfeito em seus olhos.

Não há forma ideal de ser, por mais que a sociedade diga isso. Cada um vai ter uma maneira de se portar e também uma biologia física diferente. Alguns mais baixos, outros mais altos. Alguns mais magros, outros gordinhos.

E nada disso é errado! Isso só demarca o quão único somos.

Neste mês, aproveite as dicas encontradas no seu caminho quanto ao cuidado da mama, e aproveite para cuidar de outros detalhes do seu corpo, e iniciar a prática de auto cuidado e amor próprio! Invista em uma vida com qualidade.

Sobre a autora

Mila Goularte é Psicóloga (CRP 12/18721) e você pode acompanhá-la no Instagram através da conta @milagoulartepsico

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *