Menu fechado

Tudo começou com uma página pessoal

Em 1996, o então estudante de medicina Ricardo Marques dava seus primeiros passos na internet. E é curioso lembrar que a internet – visto como uma tecnologia tão moderna – mudou muito nestes anos. Era um tempo onde os sites de informações (que hoje são conhecidos como portais) e as salas de bate papo eram os hits.

Criar um site era algo relativamente fácil. O conhecimento da linguagem HTML, o aplicativo Notepad (isto mesmo… o bom e velho Bloco de Notas do Windows) e algum aplicativo para editar imagens (o Paintshop quebrava o galho) eram as ferramentas necessárias para “montar” um site.

O grande problema era hospedar o site em algum lugar. Domínio próprio então, nem pensar (caríssimo e restrito somente a empresas). A alternativa eram os sites de hospedagem. Em resumo, eles criavam um domínio e hospedavam o conteúdo do seu site, dentro de algumas regras. Geocities, Xoom e Hpg eram os serviços mais conhecidos por aqui.

A primeira versão do site se perdeu em algum disquete ou CD. Fora hospedada no Xoom. Em 2000 o site foi atualizado e passou a ser hospedado no GeoCities.

Os primeiros passos profissionais

O site ficou parado durante uns quatro anos. A manutenção era mais um hobby do que uma necessidade. Entretanto, nesta mesma época, nosso editor trabalhava com aulas de informática, e em suas aulas, curso de webdesign.

Por conta disso, surgiu uma versão que utilizava conceitos mais atuais (como iframes e folhas de estilo css). O Dreamweaver e o Photoshop tornaram-se ferramentas indispensáveis.

Apesar dos textos técnicos, o nosso editor sentia a necessidade de escrever de modo mais opinativo. 

Um Blog de Opinião

A ideia do blog surgiu como um complemento à página profissional, como uma maneira de mostrar a audiência que o conteúdo era separado em duas vertentes: um conteúdo técnico voltado aos alunos e interessados no trabalho de consultoria e outro conteúdo, aí sim, como um blog.

Fac-símile da página pessoal do Ricardo Marques... o Blog já está ali... mas bem discreto

Por algum tempo, o nosso editor ainda manteve em paralelo a página pessoal e o blog. Mas o blog já estava tomando mais tempo do que o próprio site… 

Uma das primeiras versões do blog que deu origem ao UBQ...

Chegamos então a um ponto em que se percebeu o óbvio: o conteúdo do site poderia ser agregado ao blog e com isso ele (o site) deixaria de existir. E assim foi feito… De 2009 até 2011, existiam o site do Ricardo Marques e o Blog do Ricardo Marques… a partir daí, existia somente o Blog do Ricardo Marques.

A última versão da página. Desativada em 2011 para que o Blog ganhasse seu protoganismo

Do blog pessoal ao Um Blog Qualquer

Por algum tempo, o Blog pessoal funcionou somente com os textos do Ricardo Marques. O lema “o direito à livre manifestação” era (e ainda é) levado bem a sério.

Ou seja… o blog pessoal já não era um blog pessoal, Além disso, era um momento de indefinições. A ideia de um blog pessoal era mal vista em algumas instâncias (no serviço público, por exemplo) e não era incomum receber criticas pelo seu conteúdo.

E foi em 08/10/2012 que o blog ganhou um nome… Um Blog Qualquer. Tudo graças a um texto publicado em um momento de desabafo.

Uma das primeiras versões do UBQ, ainda como um blog de opinião

Pouco depois, o blog ganhava seu primeiro colaborador… o jornalista Carlos Aros (então estudante de jornalismo) passou a colaborar com seu talento. Passou mais um tempo e veio então Michel Matias Vieira, amigo de longa data e que de certa forma rebatizou o Um Blog Qualquer. Coube a ele a alcunha UBQ. E foi com ele que surgia a primeira grande reprogramação visual do site.

A primeira grande reprogramação visual do UBQ

Do Um Blog Qualquer ao portal UBQ

Com o tempo, o UBQ agregou a opinião de outros talentos… alguns partiram para outros desafios. Outros permanecem. E novos virão. Michel Vieira e Ricardo Marques estão aí até hoje. Depois, veio Júnior Ferreira, Paulo Henrique Vizza e Luiz Filipe Mattos Pereira. E esta é a equipe atual do UBQ.

Em 2017, o UBQ percebeu que mais uma vez mudara sua estrutura. Já não era mais um simples blog, mas agora um portal de conteúdos, visto que além dos textos, surgiram os vídeos no canal do YouTube e o podcast Um Papo Qualquer.

E com isso, surgia o portal UBQ. O “Blog” ficou apenas no nome. Mas temos ainda em nosso DNA, a origem de nosso pensamento editorial: um pequeno espaço para a livre manifestação.

Do blog pessoal ao portal UBQ... mudamos e evoluímos