Menu fechado

Rússia 2018 – Resenha da Rodada – 18/06/2018

Finalmente uma rodada em que os favoritos confirmaram seu favoritismo! Mas para variar, deu trabalho garantir este tal de favoritismo. Mais uma vez, ao contrário dos prognósticos do Galvão Bueno, o VAR apareceu. E apareceu para fazer justiça e brilhar. No jogo entre Suécia e Coreia, a equipe nórdica não teve vida fácil frente aos sul-coreanos. E foi graças a um pênalti, concedido após consulta ao VAR é que eles garantiram sua vitória.

E não… não saiu goleada no jogo entre Bélgica e Panamá. Mas os belgas venceram por convincentes 3-0 com belos gols e ótimas atuações de Mertens e Lukaku, o homem do jogo. Apesar do placar confortável, o Panamá – que estreou em copas do mundo – deu bastante trabalho para os Diabos Vermelhos no primeiro tempo.

No último jogo do dia, a Inglaterra venceu a Tunísia por 2-1, confirmando o seu favoritismo. Mas com os ingleses, tem que ser na base do sacrifício… A vitória só veio no final do jogo e de bola parada. Mas com emoção até que fica mais divertido, não acha? Vamos então aos detalhes de cada jogo…

Suécia vence, mas não convence tanto assim

Faz 12 anos que a Suécia não participava de um mundial. Em sua última participação na copa de 2006, foi eliminada ainda nas oitavas-de-final pela Alemanha. Sua última boa participação foi em 1994, quando perdeu para o Brasil na semi-final por 1-0 e chegou ao 3º lugar com uma vitória por 4-0 sobre a Bulgária.

Curioso… em minha memória futebolística, eu tinha a sensação que a Suécia participou mais vezes dos mundiais… mas não foram tantas participações assim. Após o sucesso de 1994, ficou de fora em 1998, 2010 e 2014. Mas, apesar das “poucas” participações, é o maior adversário brasileiro em copas. Foram sete confrontos… incluindo aí a final de 1958 vencida pelo Brasil por 5-2. E aliás, a Suécia nunca conseguiu vencer… São 5 vitórias brasileiras e 2 empates.

O futebol sueco sempre foi disciplinado. E um tanto retrancado. Nos últimos amistosos antes da copa, empates sem gols contra Dinamarca e Peru. E para ajudar, está em um grupo complicado… que está ainda mais complicado com a vitória surpreendente do México. Para ajudar, o nome mais famoso do futebol sueco está de fora: Ibrahimovich teve mais uma de suas crises de estrelismo e ficou de fora da festa. Ele até pediu para ser convocado, mas a vaga ficou com Forsberg.

E a Coreia do Sul? Bom… A Coreia tem o mérito de ter participado de todas as edições da Copa do Mundo desde 1986 e quando sediaram o evento, chegaram às finais, na quarta colocação (bem é verdade que de modo discutível… mas…). Não deixa de ser uma prova de que o futebol por lá está evoluindo.

Nos amistosos que disputou às vésperas da copa, perdeu para a Bósnia por 3-1, depois para o Senegal por 2-0. E ainda ficou no empate sem gols com a Bolívia. Seu futebol é sempre na base de velocidade e com pouca técnica.

O jogo começou como previsto… morno… com alguma vantagem para os suecos. O Marcos Berg, atacante desperdiçou boas chances no ataque. Foi um jogo bem faltoso também. Anotou-se 46 faltas e três cartões amarelos foram distribuídos ao longo do jogo. A verdade é que o primeiro tempo foi insosso… com nenhuma jogada digna de nota. Mas, para não passar em branco, vou citar aqui o chute de Berg ao gol aos 20’, após confusão da área. A bola bateu no goleiro e saiu para escanteio. Outra que talvez mereça menção seja a entrada de Ki Sung-Yueng em Toivonem que deu o carrinho aos 43’ para desarmar o atacante. Apesar da jogada dura, o árbitro não deu o pênalti. Assim, empatados sem gols, os times foram para o segundo tempo.

Segundo tempo… aos 52’ a Coreia foi ao ataque com J.C.Koo (e provavelmente isso vai dar cacófato) que desperdiçou cabeceando a bola rente à trave. A resposta sueca veio aos 56’ com Larsson cobrando falta lançando a bola na área e Toivonem subiu mais que todos para um cabeceio certeiro.O goleiro espalmou a bola e Kim chutou a bola para escanteio.

Aos 62’ um lançamento de Augustinsson para Berg na área e Claesson pegou a sobra, mas foi derrubado após entrada dura de Kim (outro Kim… os nomes deles são muito parecidos). O juiz de campo entendeu que o defensor foi na bola… Mas o VAR entendeu que não e sacramentou o pênalti… Granqvist bateu aos 65’ e converteu o pênalti. No placar, Suécia 1-0 Coreia do Sul.

Na bola ou na perna... o VAR deu pênalti
Na bola ou na perna… o VAR deu pênalti

Após sofrer o gol, a Coreia tentou aumentar o ritmo, mas prevaleceu a superioridade sueca. A melhor chance sul-coreana veio no finalzinho aos 90’. Hwang Hee aparece livre na área e cabeceia para fora. E assim terminou o jogo… Suécia 1-0 Coreia do Sul.

Este é mais um exemplo daqueles jogos de copa do mundo que estão lá para o cumprimento da tabela. Não foi um jogo totalmente ruim… mas não foi aquele jogo de encher os olhos. Bacana o esforço da Suécia para conquistar a vitória e foi válido o esforço sul coreano. Foi um jogo que valeu a pena somente no segundo tempo. E o destaque talvez seja a lesão do jogador coreano Park Joo-Hoo que desfalcou o time ainda no primeiro tempo.

Clique aqui e veja a resenha em vídeo no canal da FIFA no YouTube.

 Bélgica confirma seu favoritismo e vence o estreante Panamá

Ok… não foi a goleada de 5-0 que eu sugeri na rodada de ontem. Mas, 3-0 é um resultado de muito respeito e pelo jogo apresentado, a Bélgica continua credenciada como uma das favoritas ao título. Sochi recebeu o confronto entre o eterno detentor do “manto do cavalo paraguaio” das copas (a Bélgica) e o pequeno estreante sonhador (o Panamá).

A título de esclarecimento, durante os episódios da série História das Copas, criamos a brincadeira do “Manto do cavalo paraguaio”. A expressão vem do turfe e o nome dado ao cavalo que dispara no início do páreo e, lá pela metade, começa a perder a força, sendo ultrapassado pelos concorrentes e acaba nas últimas posições. O futebol se apropriou da expressão e cunhou como sendo o time que no início do campeonato se apresenta como grande favorito ao título, mas que ao longo da competição perde força e acaba naufragando. Mais ou menos o que está acontecendo com o meu Corinthians neste brasileirão 2018.

Seja como for… a Bélgica foi apresentada como uma das favoritas em 1998, 2002 e 2014. E chegou no máximo às quartas-de-final. Nas edições de 2006 e 2010 sequer se classificou. Mas acreditar que a Bélgica não pode chegar longe pode ser um grande erro. Temos que considerar que:

  • Na campanha de 2014, quando se classificou nas eliminatórias de forma invicta, e na copa ganhou os quatros primeiros jogos, vindo a ser derrotada pela Argentina por 1-0. E a Argentina foi finalista naquela edição.
  • Em 2018 fez uma grande campanha nas eliminatórias (9 vitórias e 1 empate). Tudo bem que os times de sua chave não são grandes potências, mas de qualquer forma, os resultados mostram um desempenho sólido.

Em sua seleção, nomes como Vertonghen, De Bruyne, Lukaku, Mertens, Fellaini e Hazard são referências nos times que atuam. Então, pelo menos no papel, é um time bem forte. Nos amistosos que disputou antes da copa, empatou em 0-0 com Portugal, venceu o Egito por 3-0 e a Costa Rica por 4-1.

Já o Panamá está estreando em copas. Não foi um grande destaque nas eliminatórias confusas da CONCACAF, mas tem levado a fama de ter tirado os EUA desta edição da copa. Em seu elenco nenhum jogador de grande destaque, sendo que a maioria (18 jogadores)atua em times das américas (norte, central e sul) e uma minoria (5 jogadores) atuam na Europa e ainda assim, em times de pouca expressão. Os resultados mais recentes em amistosos foram um empate sem gols com a Irlanda do Norte w derrota para a Noruega por 1-0.

O jogo começou conforme o esperado… a Bélgica sufocando a saída de bola do Panamá e esta – por sua vez – adotou uma estratégia bem defensiva quando perdia a posse de bola. Mesmo assim, as chances de gol surgiram. E não foram poucas.

Já aos 7’, Mertens testou o goleiro Penedo que praticou boa defesa de mão trocada. Aos 21’ foi De Bruyne que cruzou bola para Lukaku. Penedo foi na bola, mas o zagueiro Torres fez o corte antecipado, mandando a bola para escanteio.

Pouco depois, um lance curioso, mas fora do campo… De Bruyne chutou para fora de campo e a bola foi parar na torcida. Quem pegou a bola aproveitou o momento e fez uma selfie com a Telstar-18, a bola oficial da copa. Mais uma modinha divertida em tempos de redes sociais.

A bola foi para a galera e o torcedor fez sua selfie com a Telstar
A bola foi para a galera e o torcedor fez sua selfie com a Telstar

Mas voltando ao campo, aos 37’ temos Hazard fazendo grande jogada, entrou na área e bateu firme. E mais uma vez, Penedo fez boa defesa. Aos 40’ De Bruyne cobra falta e lança a bola para Mertens que tenta completar de voleio, mas que saia à direita da meta de Penedo.

Assim, com a Bélgica mordente, o placar do jogo não saiu do 0-0 no primeiro tempo.

Começa então o segundo tempo e logo no início, a Bélgica marcou seu gol. Aos 47’ de jogo, Mertens alça mais uma bola para a área, mas o zagueiro Torres corta com um cabeceio. A bola então sobra novamente para Mertens pegar de bate-pronto e marcar um golaço. No placar, Bélgica 1-0 Panamá. E isto foi tudo que a Bélgica precisava. Com o gol, o Panamá subiu para buscar o empate e deu os espaços necessários para a Bélgica impor seu esquema tático ofensivo e marcar mais gols.

Foi a partir daí que Lukaku começou a brilhar. Sempre bem posicionado, criou chances reais de gol. Mas apesar do domínio belga, o Panamá até conseguiu criar boas jogadas. Uma delas foi aos 54’, com o lançamento para Murillo bater prensado e a bola explodir nas pernas do goleiro belga Cortouis.

Aos 69’ veio o segundo gol belga. A  jogada nasceu dos pés de Hazard que entrou na área, chamando a marcação e tocou para De Bruyne fazer o corte em Godoy e cruzar a bola  para Lukaku completar num belo peixinho para o gol. Bélgica faz 2-0 sobre o Panamá.

Lukaku anotaria ainda mais um gol aos 75’. Em jogada de contra-ataque, Hazard tocou para Lukaku que disparou sobre a zaga e frente-a-frente com o goleiro deu um tapa na bola que encobriu Penedo e foi morrer no fundo da rede. Bélgica 3-0 Panamá.

O Panamá até acordou pra vida, mas não tinha recursos para buscar sorte melhor no jogo. O resultado final foi a bela vitória da Bélgica que é uma das poucas consideradas favoritas que confirmou isto em campo, jogando bola. E eu não me surpreenderia se o Lukaku fosse eleito melhor jogador da copa…

Clique aqui e veja a resenha do jogo em vídeo no canal da FIFA no YouTube.

Os inventores do futebol moderno venceram… mas com algum sofrimento

Ok… não é jabá… mas é que eu adoro a homenagem que a Skol fez para os ingleses na copa de 2014. O mais divertido é que até hoje isso é verdade! Bom, o vídeo com a música é este aqui… Skol, nunca tire este vídeo do seu canal, combinado? (Atualizado em 2022… Poxa Skol??? TIraram? Mancada…)

A Inglaterra vem participando frequentemente das copas desde 1982, só não tendo participado da edição de 1994. Campeã da edição de 1966 (em que foi o país sede e que muitos – inclusive eu – ainda questionam a legitimidade desta conquista), sua melhor participação foi em 1990 quando chegou as semifinais e foi derrotada pela Alemanha nos pênaltis.

A liga inglesa de futebol é uma das mais forte do mundo. E pela excelência de sua liga, teoricamente a seleção inglesa poderia se beneficiar disso. E os times formados até contam com nomes de expressão… basta lembrar de Lineker, Owen, Beckham, Shearer, Lampard  e Rooney. E aliás, o Rooney não foi para esta copa. Ele e uma galera… o treinador Gareth Southgate foi ousado ao assumir o comando da seleção e propor uma grande renovação. Deixou de lado Wayne Rooney e outros nomes tradicionais e resolveu apostar em uma equipe com novos talentos, como Harry Kane, Sterling e Dele Alli.

Nota curiosa… TODOS os jogadores convocados atuam na Premier League. A liga inglesa de futebol.

Os ingleses tiveram bom desempenho nas eliminatórias para a Copa onde venceram invictos e com tranquilidade sua chave, com 8 vitórias e apenas 2 empates. Nos amistosos que disputou antes da copa, venceu a Nigéria pelo placar de 2-1 e a Costa Rica por 2-0.

Já a Tunísia não é estreante em copas, mas também não teve passagens marcantes. Participou das edições de 1978, 1998, 2002 e 2006 e nunca avançou para além da fase de grupos. Seu time é formado por jogadores de pouca expressão e somente alguns deles atuam em campeonatos importantes como França, Alemanha e Inglaterra.  Classificou-se de forma invicta nas eliminatórias (vencendo o Congo, a Líbia e Guiné). E nos amistosos que precederam sua estreia na copa, empatou com Portugal e com a Turquia sempre pelo placar de 2-2 e perdeu para a Espanha por 1-0.

E o jogo? Bom… a Inglaterra penou para vencer a Tunísia.

A Inglaterra começou atacando. Aos 2’, uma bola cruzada por Dele que foi interceptada pelo zagueiro Ben Youssef foi roubada por Dale que cruzou novamente para conclusão de Lingard. O goleiro Hassen defendeu com o pé e a bola saiu pela linha de fundo. Aos 11’ uma cobrança de escanteio para os ingleses e o zagueiro Stones escorou para uma linda defesa de Hassen. Na sobra, Kane muito bem posicionado, aproveitou o rebote e marcou. Tunísia 0-1 Inglaterra.

Eu queria fazer uma referência para a comemoração dos jogadores ingleses. Todo mundo pulou em cima do Kane… Achei que iam matar o homem ali mesmo.

Kane marcou o primeiro gol inglês e quase foi esmagado na comemoração do time
Kane marcou o primeiro gol inglês e quase foi esmagado na comemoração do time

Aos 13’ de jogo Hassen, que já tinha praticado duas ótimas defesas sentiu o ombro por conta da queda durante a defesa na jogada que resultou em gol para a Inglaterra. Sentindo muitas dores ele teve que ser substituído por Mustapha. A Inglaterra continuou buscando o ataque. Aos 18’, Henderson chuta de fora da área, obrigando o goleiro Mustapha a fazer boa defesa. Neste ponto do jogo, a Inglaterra deixou de pressionar, tranquila com o resultado favorável e a Tunísia começou a ganhar espaço.

Aos 33’ lançamento da bola na área inglesa e o jogador Ben Youssef é derrubado na área pelo zagueiro Walker. Surgiram algumas dúvidas quanto à jogada, mas apesar do apelo dos ingleses, o VAR não foi acionado. Sassi bateu e converteu. Tunísia 1-1 Inglaterra.

A esta altura, a Inglaterra já sofria com o time tunisiano. Tentando buscar uma jogada para desempatar, a equipe dava espaço para contra-ataques da Tunísia. O jogo começou a ficar dramático para os bretões. Aos 44’ ainda surgiu uma boa jogada. Lingard recebeu a bola na área e tocou na saída do goleiro. A bola caprichosamente bateu na trave.

Fim do primeiro tempo e no placar o empate em 1-1.

Aos 50’, jogada polêmica. Um escanteio foi cobrado para os ingleses com a defesa tranquila de Ben Mustapha. No lance, alguns viram um pênalti em Kane que teria sido agarrado na área. A partir daí a Inglaterra passou todo o segundo tempo tentando criar chances para o gol, mas sem sucesso. Do outro lado, a Tunísia aproveitava o espaço criado e tentava subir no contra-ataque. Para sorte dos ingleses, a Tunísia não soube aproveitar as chances que teve.

O gol salvador veio somente nos acréscimos do segundo tempo. Cobrança de escanteio para a Inglaterra. Maguire cabeceia torto e a bola vai saindo pela lado esquerdo da meta de Ben Mustapha. E mais uma vez muito bem posicionado, Kane cabeceia a bola para o fundo do gol. Tunísia 1-2 Inglaterra. O time da rainha se safara de um desastre… E mais uma vez, o tradicional bolinho em cima do jogador que marcou o gol… Quero ver o dia que matarem um ali.

E com isso a Inglaterra garante seus primeiros três pontos na competição. E provavelmente irá disputar com a Bélgica a liderança do grupo. O destaque do jogo… mosquitos! Pois é… o estádio foi construído às margens do Rio Volga e quem mora perto de rio e lagoa sabe que isso é um criadouro e tanto para os mosquitos. Mesmo com repelente, os jogadores tiveram outra batalha em campo, com a esquadra pernilongo…

Clique aqui para ver a resenha em vídeo no Canal da FIFA no YouTube.

Análise da Rodada

A Suécia não mostrou grande futebol, mas tem como vantagem o fato de que a Alemanha perdeu o jogo de estreia… então, juntamente com os mexicanos, lideram o grupo. Se eventualmente arrancar um empate com a Alemanha e outro com o México, suas chances de avançar na copa são grandes.

Preciso lembrar que ontem eu escrevi que os times europeus não teriam problemas com seus jogos… e por pouco eu não errei. Bélgica e Inglaterra confirmaram o favoritismo. Ainda que a Inglaterra tenha feito isso na base do sacrifício. Como eu disse antes, possivelmente avançarão para as oitavas-de-final.

Para Coreia do Sul, Panamá e Tunísia, resta a oportunidade de curtir a festa até a última rodada da fase de grupos. Hoje fico por aqui… A gente se vê amanhã, em uma Copa qualquer!

Deixe seus comentários

Publicado em:Crônicas,Entretenimento,Uma Copa Qualquer

Conheça também...