Menu fechado

Chegou nossa hora?

Vitrine Rafael Henzel

Fiquei chocado. A notícia: Rafael Henzel, Jornalista, Radialista e Torcedor símbolo do time da Chapecoense, faleceu no dia 26/03/2019, vítima de um infarto, quando jogava futebol (a famosa pelada). Isso me faz pensar… chegou nossa hora?

Rafael Henzel (25/08/1973 - 23/03/2019)
Jornalista, Radialista e Torcedor Símbolo da Chapecoense
Rafael Henzel (25/08/1973 – 23/03/2019)
Jornalista, Radialista e Torcedor Símbolo da Chapecoense

Outra pessoa que passou pela mesma situação, também me chocou muito. O falecido Bussunda, que nos deixou em 17/06/2006 (integrante do Casseta & Planeta), também teve um infarto após jogar futebol.

Com Henzel foi diferente… Ficou mundialmente conhecido por sobreviver ao acidente aéreo com a delegação da Chapecoense em 2016. Isso mesmo, Ele foi um dos seis sobreviventes daquela tragédia que comoveu o esporte e o mundo todo.

A obra de Henzel

Segundo a imprensa, Hezel dava palestras, falava na rádio e escreveu um livro sobre tudo o que passou e sobre a necessidade de se reerguer e começar de novo. “Viva como se estivesse de partida” título do livro, que significa muito para a sua vida após a tudo o que aconteceu.

Viva como se estivesse de Partida, livro de Rafael Henzel
“Viva como se estivesse de Partida”, livro de Rafael Henzel

Quando chegará nossa hora?

Será mesmo que temos nossa hora exata de partir? Livros, filmes, desenhos e séries brincam com o nosso imaginário, mostrando a morte (como uma figura humanizada em forma de mulher com capa e foice), que vem a terra buscar as almas que já cumpriram sua trajetória na terra.

Se passamos por uma situação de risco, de quase morte ou de acidente, essa seria a nossa hora exata?

As religiões também explicam essa situação, na verdade buscam confortar o coração das pessoas que ficam. Mas não é possível prever a nossa hora. Por isso que, se você já passou por uma situação de risco, já temeu pela sua vida, pela sua família e amigos.

O melhor a se fazer, como o próprio livro de Henzel diz em seu título, viva como se estivesse de partida.

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *