Menu fechado

Pódio Sem Pipoca – Anos 80

Culturalmente uma década muito divertida e colorida. Foi bom ser criança e adolescente nesta época. O Cinema entendeu que tinha na moçadinha um público promissor e se esmerou para agradá-los. Grandes obras também tiveram seu lugar. Sem ombreiras nem permanente no cabelo, chegaram ao Pódio dos anos 80:

Touro Indomável

A biografia do boxeador Jake LaMotta realmente não tinha nada de original: um sujeito autodestrutivo ao extremo, criado num Bronx infernal, que tinha portanto tudo para ser um fracassado mas vira um campeão. Nem Martin Scorsese se interessou muito no começo por uma história, dramática sim, mas muito batida.

Raging Bull... É mesmo o Robert De Niro?
Raging Bull… É mesmo o Robert De Niro?

Foi Robert de Niro quem insistiu na filmagem e realizaram um filme imenso.
A fotografia em preto-e-branco ressalta o drama no ringue que dita os contornos da vida fora dele. Esta coluna vai tomar o cuidado de não dizer – por ser um chavão – que a intensidade das imagens, do texto, das sequências das lutas, do fim de carreira e aposentadoria de LaMotta nos jogam na lona. Mas é o que acontece.

Destaque para Joe Pesci em seu primeiro filme “sério”. Ele já tinha desanimado de sua carreira de ator e inclusive trabalhava como gerente num restaurante de comida italiana quando foi convidado para viver o irmão e empresário do lutador. Pesci seria figura constante nos filmes de Scorsese.

De volta para o futuro

Essa mistura acertadíssima de ficção científica, aventura e comédia tem seu merecido lugar neste pódio e representa toda uma leva de filmes dos Anos 80, que se não são necessariamente um tributo à arte cinematográfica, são legais à beça.

Back to the future... Ficção, Aventura e Comédia na medida certa
Back to the future… Ficção, Aventura e Comédia na medida certa

O jovem Marty McFly encontra um amigo cientista numa madrugada incerta na pequena cidade onde morava. O Professor o apresenta a uma máquina do tempo adaptada num carro , um DeLorean. Terroristas líbios aparecem do nada numa kombi e metralham o professor, fazendo Mc Fly fugir correndo no carro, que ao atingir certa velocidade acaba viajando no tempo.

Sendo transportado para trinta anos antes, ele conhece os pais antes deles iniciarem o namoro e por pouco não torna a própria vida impossível de acontecer. As reviravoltas da trama são divertidíssimas, ágeis e muito criativas. No final dá tudo mais que certo e ele inclusive consegue avisar o professor dos tiros que levaria trinta anos depois.

Uma nota à parte é a explicação de Mc Fly à plateia de um baile de colégio, depois de tocar um rock (Johnny B. Good, a propósito): “Acho que vocês não estão prontos para isso, mas seus filhos vão adorar.”

Cinema Paradiso

Um executivo de sucesso em Roma recebe uma ligação da mãe dizendo que o projetista do cinema de sua cidade natal, no interiorzão da Itália, faleceu. Basta para que ele relembre sua infância e o despertar de sua paixão pelo cinema. Após um longo período sem retornar, ele vai ao funeral do amigo e toma contato com memórias vívidas.

Uma linda história para despertar a paixão pelo cinema
Uma linda história para despertar a paixão pelo cinema

Há filmes que nos marcam para a vida e este é um filme sobre o cinema, sobre o que ele nos causa, o quanto pode influir em nós – mesmos nestes tempos de cinema forçadamente em casa.

Filme de rara ternura, belíssimo, encantador, um arrebatamento. A cena final é irresistível. Há inclusive dois modos de assistir a Cinema Paradiso: de olhos abertos, acompanhando a poética trajetória do menino Totó e do projetista Alfredo, e de olhos fechados para poder melhor aproveitar a linda trilha sonora de Ennio Morricone.

Serviço

Touro Indomável (Raging Bull, EUA 1980). Direção: Martin Scorsese. Elenco: Robert De Niro, Joe Pesci, Cathy Moriaty.

De volta para o futuro (Back to the future, EUA 1985). Direção: Robert Zemeckis. Elenco: Michael J. Fox, Christopher Lloyd, Lea Thompson, Crispim Glover

Cinema Paradiso (Nuovo Cinema Paradiso, Itália, 1988). Direção: Giuseppe Tornatore. Elenco: Phillippe Noriet, Jacques Perrin, Salvatore Cascio

Tapetão

“Blade Runner”, “Paris, Texas”, “Sociedade dos Poetas Mortos”. O editor tem suas dúvidas sobre a elegibilidade de Touro Indomável, já que – segundo ele – 1980 tecnicamente ainda é década de 70. Faço o registro, mas mantenho a lista tal qual está.


Deixe seus comentários

Publicado em:Cinema & Séries,Entretenimento,Sem Pipoca

Conheça também...