Menu fechado

Palloc e o álbum”A Mad But Perfect Plan”

Buenas. Nesses últimos dias, voltei a ouvir algumas coisas que eu já podia ter postado por aqui. Porém, na gana de sempre trazer coisas novas, acabei deixando algumas bandas de lado. Hoje resolvi corrigir um erro crasso. Então com vocês, Palloc e o álbum A Mad But Perfect Plan.

Onde é feito o melhor Rock’n’Roll?

Ok… é uma discussão feia. Mas em minha opinião, a resposta gira em torno de Inglaterra, dos EUA ou da Austrália. Infelizmente (ou felizmente), este que aqui que vos escreve, não tem pudores geográficos e se embrenha em vários lugares não usuais, em busca de boa música.

Em um desses meus garimpos, eu encontrei e já escrevi sobre algumas bandas da Bielorrússia. O texto está no Blog antigo do UBQ (clique aqui). Também já encontrei bandas Islandesas de Rock, mas estou enrolando um pouco pra escrever sobre esta cena, que é uma das minhas preferidas (quem sabe em 2020).

Mas hoje é dia de usar laranja, vamos resenhar os holandeses do Palloc.

Um louco, mas perfeito plano

A banda Palloc
A banda Palloc

Conheci esta banda, meio que por acidente. Eu estava procurando alguns covers do Radiohead pela internet, quando me deparei com um vídeo do Palloc, tocando uma belíssima versão de “Talk Show Host”. Caraca!

Embora seja uma versão bem fiel a original, era algo totalmente diferente (talvez devido a voz da cantora) e isso deu uma nova cara para a canção.

O maior problema dessas bandas de lugares mais incomuns é conseguir informações sobre elas. Para conseguir mais informações sobre o Palloc, por exemplo, eu penei, mas achei algumas coisas relevantes.

Rock’n’Roll Holandês?

A banda vem de Utrecht na Holanda e está na ativa até os dias de hoje (ok… as informações são realmente escassas… então não temos certeza se em 2020 eles ainda estão na estrada). Formada por Chris (baixo e samples), Thomas (bateria), Rens (guitarra) e Gerdien (voz e teclados).

Uma das características principais da banda é a mistura de alguns elementos eletrônicos a um indie rock de respeito.

Lançaram em 2008, seu disco de estreia via “BandCamp” no melhor esquema “Pague Quanto Quiser” e em 2010, lançaram esse EP, “A Mad but Perfect Plan”, que na opinião desse escriba é uma obra-prima ávida por ser descoberta.

A Mad but Perfect Plan é uma obra-prima a ser descoberta.
A Mad but Perfect Plan é uma obra-prima a ser descoberta.

Simples… mas também complexo

A Gravação do EP é de primeira qualidade, As guitarras são muito bem tocadas. Toda a “cozinha” é muito bem concisa. Durante a música ocorrem boas intervenções de teclados, que algumas vezes emulam um piano, outras vezes faz sons de antigos sintetizadores. Sem falar que a banda é toda embalada por uma bela voz.

O Palloc, gravou um grande disco, que com certeza 90% das bandas consideradas “indie” dariam um rim para ter feito algo similar.

Em resumo, o álbum é simples, conciso e bem arranjado. Soa de forma leve e despretensiosa, mas é algo complexamente bem feito.

As músicas foram escritas em inglês e falam sobre o cotidiano e sobre as relações humanas. O Palloc, consegue misturar no mesmo caldeirão a leveza do pop e os experimentalismos alternativos de maneira muito equilibrada. Sem dúvidas, eles fizeram um disco de gente grande, que merecia ter um destaque muito maior do que teve (se é que teve algum destaque fora da Holanda).

Então está aí, se você precisa de um motivo para desbravar o mundo em busca de boas sonoridades, o Palloc é uma bela porta de entrada para os lugares não óbvios (geograficamente e musicalmente falando).

Já faz tempo que não sai das minhas playlists. Precisamos de outra lufada de criatividade não óbvia. Já passou da hora de lançarem algo novo. Boa viagem.

Logo menos tem mais.

Deixe seus comentários

Publicado em:Disco da Semana,Música

Conheça também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *