Menu fechado

Unboxing e Primeiras Impressões do Moto G8 Power

Chegou em nossas mãos um aparelho lançado pela Motorola Brasil no começo de 2020, mas que ainda é relevante no mercado enquanto o seu sucessor não chegar ao país. Estamos falando do Moto G8 Power, um celular intermediário que apresentaremos a você nesta resenha.

Características Básicas

Estamos falando em um celular que – como o nome já diz – foca na autonomia de sua bateria. São generosos 5000 mAh que serão mais do que suficientes para o usuário típico. Associado a um processador Snapdragon com bom gerenciamento de energia, a expectativa é que o aparelho possa ficar tranquilamente dois dias longe da tomada.

Moto G8 Power veio ao Brasil em dois sabores: Azul Atlântico e Preto Titanium
Moto G8 Power veio ao Brasil em dois sabores: Azul Atlântico e Preto Titanium

Abrindo a caixa

Temos um aparelho com construção em alumínio e plástico. Ele é oferecido nas cores Azul Atlântico ou Preto Titanium. A textura da traseira do aparelho passa a sensação de ser um material mais nobre (e um convite às marcas de dedos, mas a capinha que acompanha o aparelho na caixa ajudará você a manter ele longe destas marcas. Nosso aparelho é Azul Atlântico.

A caixa do Moto G8 Power
A caixa do Moto G8 Power. Mesmo estilo desde o G5

Além do aparelho e da capa, temos um fone de ouvido intra-auricular com conexão P2, uma chave para abertura da gaveta do chip, um cabo USB tipo C com um carregador do tipo Turbo Charger (15W) e os guias de utilização e o termo de garantia.

Conexões e características externas

A tela é do tipo IPS LCD e tem 6,4″ e resolução Full HD+ (proporção 21:9 que a Motorola chama de Max Vision). Com o sensor biométrico deslocado para a traseira do aparelho, a tela ocupa praticamente toda a frente do aparelho, com exceção do recorte para a câmera frontal que é em formato de gota no canto superior esquerdo. Esta câmera tem resolução de 16 MP e f/2.0, sendo que a tela pode funcionar como um flash.

Atrás, temos um conjunto de câmeras dispostas no formato de exclamação invertida. São quatro câmeras: a principal com 16 MP e f/1.7; uma câmera ultra-wide com ângulo de 118º, 8 MP e f/2.2; uma câmera macro com 2 MP e f/2.2; e por fim, uma teleobjetiva de 8 MP e f/2.2. O flash é do tipo LED.

O sistema de câmera tenta abranger todas as possibilidades de uso
O sistema de câmera tenta abranger todas as possibilidades de uso

A lateral direita do aparelho traz os botões Power e Volume Control. Já a lateral esquerda tem o acesso à gaveta de chips. Ela é híbrida – ou seja – você poderá utilizar dois chips (Nano SIM) ou então um único chip combinando com um cartão de memória micro SD (até 512 GB).

Na parte superior, temos um microfone para captação de ambiente e a entrada do fone de ouvido. Na parte inferior, temos um alto-falante (sim, o som é estéreo e traz a tecnologia Dolby AudioTM) e a conexão USB tipo C.

As especificações técnicas

Temos em mão um aparelho que é equipado com o Qualcomm Snapdragon 665 e GPU Adreno 610. São 4 GB de memória RAM e 64 GB para armazenamento interno. O desempenho deve ser suficiente para aplicações mais comuns, consumo de mídia por streaming e até mesmo para jogos, com algumas limitações na qualidade dos gráficos.

O sistema de câmeras conta com estabilização digital, zoom óptico de até 2x, autofoco, HDR e detecção de facial. Ele é capaz de gravar em 4K a 30 FPS (câmera traseira) com auto foco e estabilização de vídeo digital. A câmera frontal grava em Full HD com até 30 fps e também conta dom HDR e face detection.

Em termos de conectividade, temos aqui um Wi-Fi compatível com 2,4 GHz, Bluetooth 5.0 e GPS. Ele não conta com NFC, o que pode fazer falta para alguns usuários.

Os sensores presentes são aqueles mais comuns: acelerômetro, proximidade, giroscópio, bússola e o microfone ainda conta com um atuador para redução de ruído na captação de voz. As especificações completas você encontra no site da Motorola.

Ligando o aparelho pela primeira vez

O aparelho vem com o Android 10 de fábrica. Sua ativação segue a receita de bolo do sistema Android: escolha do idioma, detecção de rede de dados, registro de uma conta Google e registro biométrico. A tela surpreende positivamente contando com uma boa relação de contraste e brilho para um produto da sua categoria. A fluidez do sistema é boa e a resposta ao toque é bem interessante. Ah sim… ele conta também com o Moto Ações… Aquela história de chacoalhar o celular para ligar a lanterna, girar o aparelho para acionar a câmera e assim por diante.

Ao que parece, a Motorola acertou em posicionar o G8 Power logo abaixo do G8 Plus. A bateria traz uma boa autonomia e a tela Full HD+, associada a um bom processador, quantidade de RAM decente e boa capacidade de armazenamento promete um aparelho que atenderá bem aquele público que busca um intermediário com algumas qualidades “a mais”.

O preço no seu lançamento estava em R$ 1.599,00. Mas com alguns meses no mercado, já é possível encontrar o aparelho na faixa dos R$ 1.250,00. Talvez seja uma ótima opção para a Black Friday deste ano.

Mas e aí? O que você achou do Moto G8 Power? Vale a pena? Deixe suas impressões na seção de comentários.

Deixe seus comentários

Publicado em:Resenhas Tech,Tecnologia

Conheça também...