Menu fechado

Banda Gumes e o álbum Adorei Você

No âmbito musical deveria ser um ano que promete… Na verdade, era a nossa visão lá no começo do ano, quando este texto foi escrito. Por aqui, vimos o povo se mexendo e colocando suas produções na praça. E por mais que o ano estivesse prometendo, tudo por aqui aconteceria apenas depois de fevereiro.

Isso não quer dizer que estamos por aqui parados esperando a next big thing, nada disso, estamos o tempo todo ouvindo coisas novas e os clássicos que sempre fizeram a nossa cabeça.

Antes de começarmos… A máquina do tempo do UBQ

Lá no começo em janeiro, tínhamos o risco de uma guerra nuclear (que não aconteceu) e de uma possível pandemia (que de fato, aconteceu). E tudo isso graças ao mais novo vírus do mercado (um tal de Coronavírus). Nossa pergunta na ocasião era simples… Será que o meteoro cairia em fevereiro ou esperaria passar o carnaval? Ficava o questionamento.

Parece que o meteoro caiu lá em fevereiro... e ainda está fazendo muitas vítimas
Parece que o meteoro caiu lá em fevereiro… e ainda está fazendo muitas vítimas

E agora, voltando ao presente, vamos ao que interessa…

A resenha de hoje é sobre um baita disco lançado em 2019 e que só vim a conhecê-lo durante as minhas merecidas férias em janeiro. Se o tivesse conhecido antes, brigaria pra entrar na lista de melhores discos de 2019. Já leu? Ainda não? Sério? Acessa aqui e dá uma conferida. Se preferir, fizemos a lista em formato de podcast, narrada com a voz de taquara rachada deste que vos escreve. Fica a dica! Modéstia à parte, ficou bacana.

Agora sim… sem mais delongas, vamos falar de música? O disco de hoje é o Adorei Você dos paulistanos da Gumes.

A banda Gumes

Formada em 2016 por ex-integrantes da banda Raça e da Goldenloki, se juntaram para fazer o que os próprios denominam como Brisas à paisana para fins terapêuticos. Mas se fosse para ser bem generalista, poderíamos dizer que se trata de um disco de rock, simples assim. Com guitarras, baixo e bateria, alguns teclados e uns metais esparsos pra dar uma cara ainda mais classuda ao som da banda.

Lucas, Thales, Otto e Yann... a banda Gumes
Lucas, Thales, Otto e Yann… a banda Gumes

Lucas Tamashiro (voz e guitarra), Thales Castanheira (guitarra) e os irmãos Dardenne, Otto no baixo e Yann na bateria, se despem de sua timidez para fazer um disco bem mais burilado e bem produzido. Produção essa que ficou a cargo de Gabriel Arbex (da banda Zander). Com alguém para pilotar a máquina e botar ordem no parquinho, a banda precisou de mais foco e disciplina para fazer um disco direto, ao ponto.

O álbum “Adorei Você”

A mudança na sonoridade é nítida. Sai a gritaria para dar lugar a calma para e assim, dar o tom de sinceridade ao falar de relacionamentos (reais ou ficcionais) e até de política (quando preservam o espaço de cada um). Sinceridade é a alma do negócio por aqui e não há a intenção de se encaixar em nenhuma prateleira, tanto que vemos as mais diversas influências: do indie, hardcore à neo-psicodelia, tão em voga ultimamente.

Fac-símile do disco Adorei Você

À todas essas influências, adicione um filtro anos 80 e talvez assim, vocês consigam mensurar a sonoridade da banda. Só me chateou o fato de tê-los ouvido após finalizar a lista de melhores do ano passado, esse álbum com certeza me faria queimar os neurônios para chegar ao cinco melhores (talvez esse ano eu aumente essa lista).

Conclusões

Quer o novo com cara de antigo e a sinceridade que só algumas mentes inquietas conseguem exteriorizar na forma de (belas) canções? Se sim, pode se jogar de cabeça, o Gumes tem tudo para arrancar o seu sorriso mais sincero, mesmo que estejam falando de coisas mais sisudas.

Trocando em miúdos, um discaço. Desde já prediletos da casa e discoteca obrigatória. Ouça muito e ouça alto. Logo menos tem mais.

Deixe seus comentários

Publicado em:Disco da Semana,Entretenimento,Música

Conheça também...