Menu fechado

Os melhores álbuns de 2019

Buenas! Ah… verão, janeiro, calor, marasmo e até que enfim… FÉRIAS!! E vamos começar o ano com o que aconteceu de melhor nesta coluna em 2019… Sendo assim, apresento a vocês os melhores álbuns de 2019.

Um descanso necessário e merecido

Esse escriba, que tanto escreveu sobre o disco da semana em 2019, se deu o direito de algumas semaninhas de descanso. Profissionalmente, esse foi um ano complexo e vejo a necessidade de recarregar as minhas baterias para o ano vindouro.

O ano que passou foi produtivo e pra lá de bacana, no que diz respeito as músicas (principalmente a brasileira). Muita coisa boa foi lançada, novos artistas nos brindaram com seu talento, antigos membros voltaram as suas bandas de origem, mas também algumas bandas terminaram.

Ou seja, esse ano foi um ano repleto de novidades musicais.

Como o período de pós festas de fim de ano é um período menos produtivo para as novidades musicais, esse que vos escreve aproveita o embalo para fazer a sua famosa listinha de melhores do ano. Afinal, quais foram os álbuns para a coluna “Disco da Semana”, lançados em 2019 e que merecem destaque por aqui?

Playlist para agradar todos os ouvidos

Criei uma playlist no capricho pra vocês. Lista esta, com as músicas e os artistas que “fizeram a cabeça” (nesse caso, agradaram aos ouvidos), do Redator do “Disco da Semana”.

Nem sempre as bandas que estão na playlist foram resenhadas por aqui, mas tem muita coisa bacana na lista. Como somos democráticos, vamos deixar o link para o Spotify (pela facilidade e popularidade da ferramenta), mas deixamos o link pra quem usa o Deezer (que seria o meu caso pessoal).

Antes de qualquer coisa, essa Playlist não corresponde a uma ordem de melhor para o pior. As músicas estão dispostas de forma aleatória.

E para ajudar o ouvinte/leitor, segue os comentários das bandas e músicas presentes na Playlist. No caso das bandas que tem resenha publicada, segue o link também. Basta clicar na imagem vitrine.

Boa viagem com os MELHORES ÁLBUNS DE 2019.

Bonfim e o álbum “Vazio”

Baseados no experimentalismos dos anos 90. Com guitarras pra lá de viajantes e hipnóticas, os catarinenses do Bonfim lançaram um discaço que faria bonito no catálogo de qualquer gravadora estrangeira.

Banda Bomfim
Banda Bomfim e o álbum Vazio

A produção auto-custeada é esmerada e de um bom gosto absurdo. As guitarras é que ditam o tom do Bomfim. Em alguns momentos elas são climáticas e singelas. Em outros, elas se contrapõe, dando um esporro sônico em algumas faixas.

Suas letras falam sobre o cotidiano e sobre as relações humanas de forma sutil, mas sem medo de meter o dedo na ferida. Em resumo, é um álbum que alenta a alma enquanto corta a carne e é ideal para uma bela tarde cinza de inverno.

Brvnks e o álbum “Morri de Raiva”

Projeto que começou com a vocalista fazendo músicas em seu violão de maneira despretensiosa. Mas quando encontrou os seus parceiros ideais, a banda se transmutou para criar um discaço de estreia.

A banda Brvnks e o álbum Morri de Raiva

Mesmo calcados no indie e no pop-punk, a base ainda é as canções que a vocalista escreve em seu quarto. Um som pra lá de sincero.

Mesmo que alguns ainda tenham “ranço”, com relação a músicas de bandas brasileiras feitas em inglês, a aceitação pelo grupo BRVNKS foi bem bacana. Haja visto, a quantidade de shows que eles estão fazendo e os importantes festivais, no qual, eles têm se apresentado.

É pra soar cru, é pra soar barulhento, mesmo que ao mesmo tempo soe pop. Diversão pura, exatamente como uma tarde de férias.

Papisa e o álbum “Fenda”

Composto e tocado quase que integralmente pela própria Rita Oliva (a Papisa), em sua própria casa. O álbum Fenda nos conecta com a alma feminina, quase como uma viagem intra-uterina sobre morte e permanência.

Papisa e o álbum Fenda

Cada faixa mostra um diferente aspecto da música, hora guitarreiro, hora mais eletrônico. Papisa nasce, morre e renasce diferente em cada música. Usando e abusando de metáforas, mas se fazendo entender de maneira clara, entrega em cada música um aspecto diferente do universo feminino.

Tudo se parece com um ritual, onde o místico colide com o mundano, uma mistura balanceada de orgânico com sintético. Misticismo, ritual, vida e morte sob um viés feminino, mostram a força desse álbum único. Uma viagem mística e sonora.

Raça e o álbum “Saúde”

Um álbum simples. Essa é sua principal qualidade.

Banda Raça e o álbum Saúde
Banda Raça e o álbum Saúde

Produzido graças a uma campanha de financiamento coletivo, a banda mostra a urgência e a necessidade de passar o seu recado, de mostrar a sua voz (e sua visão) ao mundo. Algo simples assim. Mesmo que a vida (a qual eles retratam tão bem) não seja tão simples e descomplicada (pelo contrário, viver é eternamente sair da zona de conforto).

Tudo isso é feito de maneira orgânica, abusando de guitarra, baixo, bateria, teclado e voz. Evidenciando que a banda se referenciou no cenário Punk Rock.

Um álbum cru, direto e reto, regado à belas doses de melancolia, introspecção e angústia.

Terno Rei e o álbum “Violeta”

Simples e complexo, é o que mostra uma banda que optou por sair da sua zona de conforto pra criar um dos grandes álbuns de 2019.

Terno Rei e o álbum Violeta

Fazendo um revisionismo dos anos 80 mas soando extremamente atual. Terno Rei, consegue soar dançante e pensativos ao mesmo tempo. Com um baixo pesado, bateria marcada, guitarras criativas e teclado – muitos sons de teclado – pra dar um clima e criar ambiente. Além de uma voz poderosa que se impõe na frente desse caldeirão de boas referências.

A música mistura o instrumental denso, mas com uma intenção explicitamente mais pop. Por diversos momentos a banda nos coloca pra dançar, sem abrir mão da reflexão das letras.

É um disco paradoxal, e esse é um dos seus maiores charmes (se não o maior).

Fica evidente nesse álbum, que há uma dose grande de esperança em meio ao amargor existencialista. Esse é o elemento que ilumina toda a obra e faz com que a mensagem (por mais densas que sejam de conteúdo e conceitos) chegue ao ouvinte com leveza.

Ok… Queremos ouvir… Queremos ouvir!!!

Bora lá… aqui vai a Playlist de 2019 com estas e outras músicas que fizeram a cabeça deste escriba. Quer o Deezer? Ok… a lista está neste link.

Antes que alguém diga que somos anti-democrático, ou esquecemos alguma música, essa lista reflete única e exclusivamente a Liberdade de Escolha do Disco da Semana. Estejam a vontade para comentar, concordar, discordar e compartilhar conosco as suas listas.

Que 2020 seja repleto de música boa. Que comecem os trabalhos de 2020. Feliz ano novo!

Logo menos tem mais.

Deixe seus comentários

Publicado em:Disco da Semana,Música

Conheça também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *